Danilo Moraes e Ricardo Teté
Gig Seeker Pro

Danilo Moraes e Ricardo Teté

| INDIE

| INDIE
Band World Singer/Songwriter

Calendar

This band hasn't logged any future gigs

This band hasn't logged any past gigs

This band has not uploaded any videos
This band has not uploaded any videos

Music

Press


Os jovens compositores Danilo Moraes e Ricardo Teté lançam CD que é fruto da malfadada experiência no Festival Cultura

Adriana Del Ré

O Festival Cultura – A Nova Música do Brasil, realizado dois anos atrás pela TV Cultura, funcionou como uma espécie de rito de passagem na carreira dos jovens compositores Danilo Moraes e Ricardo Teté. Naquela ocasião, a dupla poderia ter inscrito qualquer canção feita em parceria, que fosse,digamos, mais palatável para um festival de música. Cartucho para isso eles tinham.
Mas,em comum acordo, preferiram arriscar com uma composição “difícil”, que causasse certo estranhamento em letra e melodia.

Na final do festival, mais uma surpresa: em vez de serem ovacionados pela platéia, por pouco não levaram ovadas. Lembrando antigos festivais, a dupla saiu de lá debaixo de vaias.
Na hora, uma profusão de sensações veio à tona, lembram eles: perplexidade, estranhamento, vontade de rir da situação. Mas a idéia de ter
causado incômodo lhes pareceu bem apropriada. “Prefiro tomar vaia do que aplausos mornos”, diz Danilo. “É legal pra caramba, porque ninguém tem coragem de falar ‘não gostei’, são tão poucas pessoas que dá para contar nos dedos”, completa Teté.
Querendo a platéia ou não, eles foram vencedores e tiveram direito de gravar um CD. Tudo bem que o disco demorou muito para sair – não por culpa dos rapazes, que já estavam com todo o repertório acertado. Está sendo lançado agora, com o sugestivo título A Torcida Grita. Em alguns detalhes, o disco (o primeiro oficial deles) vem impregnado daquela experiência. A boa sacada é que tiveram capacidade de tirar sarro do circo armado, seja no título do CD (tirado, oportunamente, da canção Teresa e a Torcida, incluída no repertório), na arte da capa, ou na criação da música Viva Vaia.
Mas A Torcida Grita é uma oportunidade para aqueles que torceram o nariz para Contabilidade se inteirarem um pouquinho mais da obra dos dois compositores.

Afinal, essa obra não está tanto para o estranhamento, nem tanto para o comunicativo, nem tanto para o humor, nem tanto para o bem harmonioso. É um mix de tudo isso. Talvez, esta seja uma segunda fase da redenção da dupla, iniciada pelo exemplar desempenho mostrado por Danilo no recente Prêmio Visa.
Nele, foi reunido grande parte do repertório que compôs um álbum anterior deles, mais modesto, lançado apenas na França. Inédito para brasileiros e, como brinca Teté, para a maioria dos franceses também. Das agradáveis Nem que a Vaca Tussa e Arredondamento até a faixa Sisudo, eles exercitam as influências da MPB, as letras bem-humoradas ou bem trabalhadas, a coesão melódica.Tiveram liberdade para se dedicar ao projeto e fazer uma produção bem acabada.
Sinais de uma sintonia que funciona há mais de dez anos. Na maioria das vezes, Danilo fica responsável pela parte musical e Teté, pelas letras. Os dois se conhecem desde a época da escola, tocaram na banda Banguela e ganharam projeção fazendo forró. Juntos, compuseram o xote Beijo Roubado, que foi gravado pelo grupo Rastapé. Apesar de manterem projetos paralelos, os dois gostam de trabalhar juntos.“Minha parceria com Danilo é a coisa que mais tenho apego na minha história”, declara-se Teté.
Os dois foram morar em Paris e trabalharam por lá, em parceira e separados. Danilo já voltou, para começar a divulgar o CD. Teté volta mais para o final do ano.“A gente não estava pensando em ganhar o Festival Cultura, então tivemos de nos adaptar. Eu já planejava gravar um CD-solo fazia tempo”, diz Teté, que conseguiu realizar o sonho e ficará alguns meses divulgando seu trabalho na França. Lá por outubro ou novembro, ele retorna ao Brasil em definitivo e inicia com Danilo, para valer, a turnê.
Para uma trajetória ainda em formação, outros ritos de passagem devem atravessar o
- Estado de S. Paulo


Discography

51 (2005)
A Torcida Grita (2006)

Photos

Bio

Danilo Moraes and Ricardo Teté have been composing and playing together since 1997. Recently, their work was crowned by the First Prize at the Cultura TV Festival, in 2005. Their song Contabilidade was chosen by the jury for better representing the new music of Brazil. They received the prize from the hands of Gilberto Gil, Brazilian music legend and Minister of Culture. As a result of winning the Festival, they recorded and released a new album called A Torcida Grita.

The album was recorded using a versatile formula that ranges from the experimentalism of Contabilidade to the swing and groove of tunes like Teresa e a Torcida (a samba-rock) and Sempiterno (a ballad). The band is formed by Danilo (acoustic guitar, electric guitar, tenor guitar and vocals), Ricardo (guitar and vocals) and four other musicians: Márcio Arantes (electric and acoustic bass), Marcelo Jeneci (accordion, piano and synthesizers), Guilherme Kastrup (drums) and Douglas Alonso (percussion).

Success is not a new thing for the duo. In 2000, the popular forró group Rastapé recorded their song Beijo Roubado and it became a countrywide hit in Brazil, selling more than half a million copies. Since then, they composed more than 30 songs together (Danilo composes the music and Ricardo writes the lyrics) and, on top of the new A Torcida Grita, they have also released an acoustic album called 51 in the French market.

Danilo Moraes released his first solo álbum in 2002 and was selected by the Itaú Cultural Rumos Project as well as by the TIM Prize. Since an early age, Danilo has performed as a guitarist and singer with renowned musicians such as Chico César, Vicente Barreto, Carlos Careqa, Miriam Maria, etc. Danilo founded a forró group called Banguela which toured the best forró houses of São Paulo. They also released an album called Na Pista, which included 7 songs composed together with Ricardo Teté.

In 2006 Danilo’s talent as a composer was also recognized on its highest level when he finished the 9th Visa Prize of Brazilian Music in 2nd place.

Ricardo Teté moved to Paris in 2001, where he co-founded the forró band Orquestra do Fubá, with which he recorded 2 albums (both include songs composed together with Danilo). Orquestra do Fubá has performed in many European cities and toured Brazil in 2005, with concerts in São Paulo and Rio de Janeiro. Ricardo Teté has recently released his first solo album Geringonça, produced by David Linx, through the O+ Label. During the recording sessions, Ricardo welcomed top notch musicians like Hamilton de Holanda, Nelson Veras, Marcelo Pretto, Marc Ducret and a special guest appearance, French actress Irene Jacob.