Juliana Kehl

Juliana Kehl

 São Paulo, São Paulo, BRA
BandWorldSinger/Songwriter

The singer and songwriter Juliana Kehl, from São Paulo, started to sing in 93 when she joined the Rudolf Steiner School. Taking part in the choir, she had the opportunity to perform a brazilian setlist at the Carnegie Hall in New York, two years later.

Biography

The singer and songwriter Juliana Kehl, from São Paulo, started to sing in 93 when she joined the Rudolf Steiner School. Taking part in the choir, she had the opportunity to perform a brazilian setlist at the Carnegie Hall in New York, two years later.
Even though she has been engaged with music since her early age, she graduated at FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado) Art School, dedicating herself to painting, dancing projects and visual arts. She turned herself back to music in 2003 when she sang in a Vinícius de Moraes' Tribute and hasn't stopped since then.
The success of the project stimulated her to continue singing and in 2005, engaged by the producer César Suzigan, she started to write her own songs which grabbed the interest of other interpreters who began to put her songs into their setlists.
Her first compositions were together with her sister, the poet Maria Rita Kehl.
Currently, Juliana has dedicated herself to finishing her first album, produced by Gustavo Ruiz e Dias Paes (DiPa).
Ten of the twelve tracks were written by her and: Outras Mulheres, a song from the 80's by Joyce and Paulo César Pinheiro, and the song Oiê, by Junio Barreto from Pernambuco.
The project has some special guests, such as Bocato, Swami Jr., Dominguinhos, DJ Marco, Guilherme Kastrup, Junio Barreto, Marcelo Jeneci and many others.
The album is to be launched in July 2008.

Lyrics

Rede de Varanda

Written By: Juliana Kehl

O que eu posso fazer
Se a vida me devolve pra você
O que eu posso fazer
Se a vida me devolve pra você
Me devolve pra essa
Rede de varanda
Me devolve pra essa
Ilha de sossego
Pra esse braço
Pra esse beijo
Então eu fujo
Eu me fantasio toda
Eu me faço de outra pra
Você me esquecer
Conto meus segredos
Eu escrevo os detalhes
Pra ver se você se assusta
Com que vê
A tua santa tá querendo te enloquecer…
A tua santa tá querendo te enloquecer…

Ela não sabe sambar (Pedreiras Prata e Pó)

Written By: Juliana Kehl / Dipa

Saí na avenida
Só pra vê-lo dançar
Descobri que ele pra mim
Não sabia sambar
O que aconteceu
Com meu bem querer
Se já não me queres
Porque me fazer sofrer
Eu não quero me enfeitar
Eu não quero esse papel
Eu não quero me cobrir
De pedrarias, prata e pó
Pra provar: eu sou a única
Sou aquela que derrama o amor
Pelas paredes pelas janelas
Pelo chão
Eu sou a única
Eu não sou exatamente
Como a mulher na esquina
A princesinha do bar
A menina de flerte
Sorte que tens fantasia
Pois hoje é dia de carnaval
Sabes que eu sozinha
Não sei brincar de sorrir no final
Sim eu quero me enfeitar
Eu quero esse papel pra mim
Eu quero é me cobrir
De pedrarias, prata e pó
Pra mostrar: não sou a única
Mas ainda derramo o amor
Pelas paredes pelas janelas
Pelo chão
Eu não sou a única
Eu sou exatamente
Como a mulher na esquina
A princesinha do bar
A menina de flerte

A música mais bonita

Written By: Juliana Kehl

A música mais bonita eu fiz pra você
E não é essa
A música mais bonita eu fiz pra você
E não
A moça mais bonita eu guardei pra você
Mas ela fugiu
Por entre as horas
Por entre os fios silenciosos
Do teu próprio cabelo
Ela fugiu pra ver o sol menino
Ela partiu pra se banhar menino
Mas percebeu no dia seguinte
Que sol mora nos fios
Do teu próprio cabelo
E nesses dias me falta a terra
E também o ar
E também o ar...

Outras mulheres

Written By: Joyce / Paulo Cesar Pinheiro

Meu corpo é pedra em que nascem
Corais, sargaços e líquen
Que os homens todos me abracem
Só quero aqueles que passem
não quero aqueles que fiquem.
Gosto, meu bem, de andar nua
Me pinto feito arco-íris
Jamais me tires da rua
Porque jamais serei tua
Se tu não me repartires.
Senti paixão por um bando
Escorreguei como os peixes
Por isso eu peço que quando
Sentires que já estou te amando
Eu quero é que tu me deixes.
Sou de ceder minhas graças
Não sou aquela que queres
Pertenço a rodas devassas
Não quero que tu me faças
Igual às outras mulheres.

Tá perdido, nego

Written By: Juliana Kehl

Quando não se sabe bem
o que dizer
cala nego, cala
quando não se sabe bem
o que fazer
se enrosca nego, se encosta
se tuda que testemunha
resolver te delatar
as pedras nego
te viram por aqui
se toda testemunha
resolver delatar
as plantas, nego
estão sempre vivas
e se minha cama
resolvesse falar
tá perdido, nego, perdido
e se minha cama
resolver te escorraçar
eu compro outra, nego, outra
fica mais um pouco
fica um pouco mais
fica muito mais
fica mais um pouco
fica muito mais

Discography

Juliana Kehl (2009) - Agência Produtora

Set List

REDE DE VARANDA
ELE NÃO SABE SAMBAR PEDRARIAS, PRATA E PÓ
OIÊ
VIAÇÃO COMETA
SINHÔ DO TEMPO
OUTRAS MULHERES
A CIRANDA E A MOÇA
TÁ PERDIDO NEGO
DIADORIM, O SERTÃO É DO LADO DE DENTRO
VINHETA CARNAÇÃO
CARRUAGEM