Missing Takes
Gig Seeker Pro

Missing Takes

Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brazil | Established. Jan 01, 2015 | SELF

Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brazil | SELF
Established on Jan, 2015
Band Rock Indie

Calendar

This band hasn't logged any future gigs

Sep
21
Missing Takes @ Molly Malone's Irish Pub

Los Angeles, California, United States

Los Angeles, California, United States

Sep
07
Missing Takes @ Bar 20 Sunset

West Hollywood, California, United States

West Hollywood, California, United States

Feb
06
Missing Takes @ Fundação Piratini - TVE e FM Cultura

Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brazil

Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brazil

Music

Press


"MIssing Takes releases first Music Video for "Just Another""

De Porto Alegre, a banda Missing Takes apresenta nesta quarta, 22, o clipe de sua faixa Just Another – o primeiro de sua carreira.

Ele foi gravado no espaço Casona, que abriga um estúdio com seus dias contados, visto que o local será derrubado para a construção de um prédio em breve. Com uma lanterna cumprindo papel de luz direta, o grupo canta seus versos sobre aceitar aquilo sobre o qual não se tem controle. O baixista Pedro Mello assina toda a produção.

Em outuro, Missing Takes lançará o EP de inéditas We Don’t Have It, pelo selo Tronco - Musica Pave


"Missing Takes releases playful Music Video for Unicorn"

O cenário musical do Rio Grande do Sul segue quente! A banda gaúcha Missing Takes – formada por Mateus Zuanazzi (vocal e guitarra), Tito Lima (guitarra solo), Pedro Mello (baixo) e Rodrigo Messias (bateria) – divulgou nesta quarta-feira (28), com exclusividade no Showlivre.com, um videoclipe especial para a faixa ‘Unicorn (Alternate Lyrics)’, que estará presente no novo EP da banda “We don’t have it”.

Contando a história de um rapaz cansado da rotina do dia-a-dia e que procura refúgio num mundo de imaginação (e até encontra seu próprio unicórnio), a produção é resultado de uma parceria da banda com o desenhista Marcel Trindade. Confira:

O lançamento é uma reformulação da versão original de ‘Unicorn’. Com nova letra e arranjo, a faixa é cantada em inglês pelo vocalista Mateus Zuanazzi e consiste apenas de voz acompanhada de violão. “A letra original era mais uma história, não tinha muito a ver com o título. Como a música era das preferidas de quem curte a banda, a gente resolveu fazer uma letra que tivesse mais a ver com o título e entramos nesse universo do “Unicórnio”, mais como algo idealizado, que não se sabe se existe. Ou existe enquanto a gente quer acreditar. A ideia do clipe é exatamente essa, entrar no mundo fantasioso do unicórnio. Tem um ar de sonhar acordado, escolher acreditar na fantasia. Ou na realidade. Pode ser divertido ou não”, comenta Mateus. - Showlivre


"Influenced by artists such as Nada Surf and Yuck, Missing Takes explore new paths on "We Don't Have It"."

Em 2017 falamos por aqui sobre a Missing Takes pela primeira vez. Desde lá muita coisa aconteceu, com pouquíssimos meses de estrada eles já tinham até feito uma mini turnê pelos EUA e lançado seu primeiro EP. Como na época nos contaram em entrevista exclusiva logo depois trouxemos os porto alegrenses para um show dentro do projeto Contramão Gig.

Atualmente o quarteto conta em sua formação com Mateus Zuanazzi (vocal e guitarra), Tito Lima (guitarra solo), Pedro Mello (baixo) e Rodrigo Messias (bateria) e vem nos últimos tempo transformando seu som. Uma prova disso foram as referências que foram trazendo para a banda que já refletiram no EP Uneven Tides, lançado em março do ano passado.

“A Missing Takes nasceu como um “projeto solo em dupla”. Depois do término da minha antiga banda, comecei [Mateus Zuanazzi] a compor em inglês e gravar tudo na casa do Pedro Mello (que já tocava no antigo projeto). Após um tempo, a Missing Takes reuniu quatro integrantes, que se juntaram para a gravação do primeiro EP. Antônio Zambon, primeiro baterista da banda, saiu após as gravações e Rodrigo Messias, que já gravava a banda em seu estúdio, assumiu o posto.

Depois dos primeiros shows e da divulgação do primeiro trabalho, a banda começou a gravar o segundo EP, “Uneven Tides”, que deve sair em julho. Em meio às gravações, nosso guitarrista solo, Caio Mello, saiu e, ao mesmo tempo, surgiu a oportunidade de fazer a turnê na Califórnia, então optamos por permanecer em trio até a volta dos EUA (inclusive, estamos à procura de um novo guitarrista solo).

É importante dizer que os dois EPs foram gravados na Casinha, em Porto Alegre (RS), estúdio de Rodrigo Messias e Bernard Simon Barbosa, um lugar por onde várias outras bandas também circulam. Isso também permite a convivência e troca de experiências entre as bandas, até participação nas gravações.

As mudanças na formação, horas de ensaio e gravação em estúdio, convivência e troca de experiências com outras bandas, participação de outras pessoas no processo de gravação e produção, turnê internacional e convivência com o mercado e as bandas dos EUA, são fatores que nos fortalecem como banda e fazem músicos e música evoluírem.”, contou Mateus Zuanazzi em entrevista para o Hits Perdidos em 2017

Quando o assunto são influências e inspirações o leque é bastante vasto e abraça do mainstream ao underground. Passando por nomes como Foo Fighters, Green Day, Muse e Red Hot Chili Peppers e Yuck.

Para o novo trabalho que está sendo lançado hoje (30/01) em Premiere no Hits Perdidos eles citam novas referências de grupos como Nada Surf, Sonic Youth, Jeff Buckley, Paramore, Queens of the Stone Age e até mesmo Sandy & Junior.

Missing Takes – We Don’t Have It (30/01/2019)
O terceiro EP dos gaúchos, We Don’t Have It, sai em parceria com o selo Tronco (do Estúdio Casona / Porto Alegre – RS).

O registro que foi gravado em Junho (2018), no Estúdio Casona, teve produção musical e mixagem de Bernard Simon Barbosa e masterização de Rodrigo Messias.

Já na parte gráfica, a capa é uma foto da artista Luiza Reginatto. A concepção de ideia, assim como a tipografia utilizada é do guitarrista Tito Lima.

São 5 faixas e 19 minutos de duração, ou seja, é papo reto e de fácil assimilação. O lo–fi sai um pouco de cena e as referências de pop acabam por si só transparecendo.

O EP começa logo com “Relapse” com aquela guitarra que o Foo Fighters cansou de transformar em hits nos anos 90. A temática vai de encontro com as das recaídas, algumas como eles mesmo dizem: recorrentes.

Já “Insert Likes” parece buscar referências no rock suéco da mesma década, ou seja, se você gostar de Hellacopters, Backyard Babies, Imperial State Electric e Gluecifer provavelmente irá gostar. Ela ainda traz berros, algo incomum até aqui na discografia da banda.

“Essa faixa é inspirada em um jogo de fliperama de luta, daqueles bem clássicos, que o personagem só pode se mover em um sentido – ou seja, não pode voltar – e tem que vencer as batalhas/inimigos no caminho. Aqui o “jogo” é a vida, com desafios e batalhas que temos que vencer todos os dias. E assim como no jogo, não podemos voltar atrás, o caminho é sempre pra frente. É sobre a resiliência de saber cair e levantar tantas vezes quantas forem necessárias. Além disso, tem várias provocações como “Is all you want, the highest score?” (é tudo que você quer, a pontuação mais alta?).

Será que a vida não é mais que isso? O teor de “resistência” ou “luta” da música também tem a ver com o momento político que vivemos. Não é à toa que essa faixa tem o arranjo mais “pesado”. O título também é uma provocação. Normalmente aparecia nos jogos de fliperama “Insert Coin” (insira moeda), mas trocamos por “likes” para fazer uma menção às redes sociais e à chamada “sociedade do espetáculo” que vivemos, onde as pessoas vivem cada vez mais em função de curtidas e seguidores”, questiona o vocalista

Na sequência vem a strokeana “Just Another”, que inclusive recentemente ganhou um belo videoclipe. Um detalhe para a versão presente no EP é justamente o recurso do violoncelo trazido por Ives Mizoguchi. Transformando ela numa espécie de “Bitter Sweet Symphony” dos gaúchos.

As origens do punk / alternativo dos primeiros trabalhos do grupo voltam a transparecer em “White Lies” que nos remete a sons do pop punk / hardcore melódico de grupos como Face To Face e Satanic Surfers.

Talvez a que traga mais energias novas para o repertório da Missing Takes seja justamente a agradável melodia de “Unicorn (Alternate Lyrics)”. Ela que me lembrou o trabalho de bandas como o Polara, Trevor Keith e Nada Surf até mesmo em sua temática que é sobre o desejo de sonhar mais alto – além da mediocridade da monotonia do dia-a-dia.

Seu último verso fica ecoando na cabeça feito um mantra: “Fly up high from down and rebound” - Hits Perdidos


"Missing Takes @Coalition T.O. (by Suzana Mesa)"

Hailing form Porto Alegre, Brazil, Missing Takes delivered a very good indie-pop at Coalition, Toronto. They excused themselves for being the least heavy band that was playing that night during the Brazilian showcase at this great and dark Kensington market venue, however, the really did not need to excuse themselves at all. The songs from Uneven Tides filled the air with good energy and it was a good way for me to start a night of venue hopping. - Spill Magazine Toronto


"Missing Takes Debuts “Just Another”"

Missing Takes is a band far from your typical and ordinary rock band. With thoughtful and diverse lyrics centred around uncertainty, inevitable change, relapsing and the relationships built up throughout our lifetimes, the band has direct influences from 90s rock artists (the Foo Fighters, Green Day, Muse, RHCP) stretching into the 2000s. Pretty cool right? Although they’re an independent band they’ve done significant international traveling and touring while building a solid fan base and developing a unique experience catered to their own style.

Missing Takes released their single titled “Just Another” and this record is the quick-witted fun I needed for the night! The unique composition, arrangement, and lyrics caused me to be highly intrigued and engrossed by the song. “Just Another” begins with a sinuous introduction and muffled vocals that sounds like it’s being sung through a computer disc, right before their grandiose and striking vocals entertain its listeners. They have a progressive and well orchestrated merge of instruments while not missing a single drum beat or guitar riff! Something highly remarkable about “Just Another” is use of the cello. We’re used to the typical electric/acoustic/bass guitar, with drums, and a vocalist but what we aren’t typically use to is the introduction of non-traditional rock instruments, being used in a progressive sounding rock hit!

The producer and mixer Bernard Barbosa brought out a more experimental, clear-cut sound without toning down either “punch” or pop appeal. If you’re in for a good visual, Missing Takes also released a video that can be found on YouTube to their single “Just Another” where the witty sarcasm is at its peak, leaving room for detailed interpretations. - Buzz Music Los Angeles


Discography

SUPERFRIEND GOING DOWN is our debut EP. It was recorded in Porto Alegre, Brazil, during the years of 2015 and 2016 at Casinha Studio. 

Produced by Missing Takes, Bernard Simon and Rodrigo Messias. 

Mixing by Bernard Simon and Rodrigo Messias. 
Mastering by Arthur Joly. 

Track list: 

1) Tone it down

2) You ain't my friend

3) And this is what's been going on

4) Super 

***

UNEVEN TIDES, second EP, released on Nov 3, 2017. 

Produced by Missing Takes, Bernard Simon and Rodrigo Messias. 

Mixing by Bernard Simon and Rodrigo Messias. 
Mastering by Brian Lucey. 

Track list: 

1) Emotional Inception

2) Never-ending circle

3) Pulling Back

4) Photofinish

5) Unicorn

6) Here it is

****

UNEVEN LIVES is our first live EP, released on July, 2018. Recorded at Agulha (Porto Alegre - Dec, 2017)

Mixing by Bernard Simon and Rodrigo Messias. 
Mastering by Rodrigo Messias. 

Track list:

1) White Lies
2) Emotional Inception
3) Tone it down
4) Photofinish
5) Pulling Back
6) Never-ending circle
7) Unicorn

*****
WE DON'T HAVE IT - released on Jan, 2019. Recorded at Casona Studio (Porto Alegre - Brazil)

Mixing and production by Bernard Simon Barbosa 
Mastering by Rodrigo Messias. 

Track list:

1) Relapse
2) Insert Likes
3) Just Another
4) White Lies
5) Unicorn (alternate lyrics)


Photos

Bio

Missing Takes - We Don’t Have It. 

Well-defined tones but still punchy in their 4th EP.


"We Don't Have It", Missing Takes' new five track record showcases their composition, arrangements, and lyrics. Songs reflect themes of relapse, sarcasm, social media, relationships, and, more, sarcasm.


Producer and mixer Bernard Simon Barbosa brought a more experimental, clear-cut sound without toning down either "punch" or pop appeal. Leaving their bass-drums-guitar line-up for different instruments like the cello on "Just Another", MT takes some interesting turns including an acoustic version for "Unicorn" that ends the EP.    


Influences such as "Nada Surf", "Sonic Youth", "Jeff Buckley", "Paramore", "Queens of the Stone Age", "Elliott Smith" and even brazilian pop stars are part of MT's sound scope. Everything and anything that helps lead them to a clearer, punchy tone.     


"We Don't Have It" is a DIY release by music label Tronco, recorded and produced in Porto Alegre, Rio Grande do Sul in southern Brazil. Produced by Bernard Simon Barbosa, the EP was mastered by Rodrigo Messias, who's also member of the band. All songs were written and recorded by Missing Takes: Mateus Zuanazzi (vocal/ rhythm guitar), Tito Lima (lead guitar), Pedro Mello (bass guitar) and Rodrigo Messias (drums). Cover art is a photo by artist Luiza Reginatto and design and typography were done by Tito Lima.        


As soon as it was released, "We Don't Have It" was showcased on Unisinos FM (102.3), one of Southern Brazil's biggest rock stations.


More about Missing Takes

With thoughtful and diverse lyrics centered around uncertainty, inevitable change, relapsing  and the relationships built up throughout our lifetimes, the band has direct influences from 90’s rock artists (the Foo Fighters, Green Day, Muse, RHCP) stretching into the 2000’s (Yuck). Currently, they follow a new path, flirting with completely different universes from their common ground. Although an independent band, they've already got 2 international tours under their belts having traveled to the US and Canada playing classic venues like Whisky A Go Go and the Viper Room, in addition to rocking Canadian Independent Music Festival Indie Week. The band even worked with the six-time Grammy Award winner mastering engineer Brian Lucey (Arctic Monkeys, Liam Gallagher). In March of 2018, Uneven Tides won “best alternative rock EP of the month” at the Akademia Awards and is currently in the running for the best of the year. Also in March, same year, the single “Unicorn” joined the rotation at KMIX Radio Los Angeles.  


Band Members