Nene Trio
Gig Seeker Pro

Nene Trio

São Paulo, São Paulo, Brazil | INDIE

São Paulo, São Paulo, Brazil | INDIE
Band Jazz World

Calendar

This band hasn't logged any future gigs

Jun
27
Nene Trio @ Espaço Santander

Porto Alegre, Not Applicable, Brazil

Porto Alegre, Not Applicable, Brazil

Jan
26
Nene Trio @ SESC Paulista

São Paulo, Not Applicable, Brazil

São Paulo, Not Applicable, Brazil

Nov
28
Nene Trio @ SESC

Thermas Presidente Prudente, Not Applicable, Brazil

Thermas Presidente Prudente, Not Applicable, Brazil

This band has not uploaded any videos
This band has not uploaded any videos

Music

Press


Antônio Carlos Miguel

Baterista é o autor dos dez temas do disco

A percussão também conduz "Outono" (Borandá), novo CD do Nenê Trio - Nenê (bateria), Alberto Luccas (contrabaixo) e Írio Jr. (piano). Mas Nenê (Realcino Lima Filho) - gaúcho, de Porto Alegre, quatro décadas de carreira, com passagens pelos grupos de Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, Elis Regina, entre outros - não abusa de solos, tocando a serviço de suas melódicas e inventivas composições. A faixa-título, com lírico desenho melódico, é um bom exemplo da musicalidade do Nenê Trio. - Discolândia: Orkestra Rumpilezz e Nenê Trio reafirmam a força do instrumental brasileiro


Em Outono, compositor e baterista esbanja a sua renovação constante
09 de setembro de 2009 | 0h 00
Lucas Nobile - O Estadao de S.Paulo
Quando pequeno, em Porto Alegre, Nenê (Realcino Lima Filho) não pôde aprender a tocar bateria com o próprio instrumento. Como sua família não tinha dinheiro suficiente, ele aprendeu de uma maneira pouco convencional: colocava revistas sobre três cadeiras para batucar e usava o assoalho de madeira de sua casa como bumbo. Hoje, com 40 anos de carreira, e reconhecido por muitos como um dos maiores bateristas brasileiros de todos os tempos, Nenê lança seu 11º disco-solo.

Ouça trecho da faixa Lindolfo

Nas dez músicas de Outono, todas compostas por Nenê nos últimos cinco meses, o baterista é acompanhado por Alberto Lucas, no contrabaixo acústico, e Irio Junior, no piano. O tempo extenso das faixas passa longe de ser cansativo. Mesmo no tema mais longo, Lindolfo, com mais de dez minutos, o que se notam são linhas melódicas expressivas e belas, com improvisos que superam o mero exibicionismo da técnica, transmitindo emoção a quem ouve. É o fino do instrumental.

Mesmo com a formação jazzística do trio, Nenê optou por trabalhar de maneira original sons genuínos do País. "É um disco de música brasileira do século 21. Eu tive influências de bateristas, como Milton Banana e Edison Machado, e compositores como Tom Jobim e Villa-Lobos, mas tento fazer como o Mário de Andrade, assimilar tudo e fazer algo diferente do que foi e está sendo feito pelos outros", diz Nenê.

Essa busca infinita pela renovação, ele aprendeu com seu "professor" Hermeto Pascoal, com quem tocou por mais de dez anos. Foi o compositor e multi-instrumentista alagoano que apresentou Nenê a um novo universo, com uma infinidade de ritmos brasileiros do Nordeste. Dedicado, o baterista anotava as novidades aprendidas com Hermeto em um caderno para não esquecer. Anos depois, já trazia na bagagem gravações e participações em discos e shows com o próprio Hermeto, como no antológico Ao Vivo em Montreaux (1979), com Egberto Gismonti, em Sanfona (1981), Milton Nascimento, em Clube da Esquina 2 (1978), e Elis Regina, em Falso Brilhante (1976).

Nenê toca com o seu trio no Jazz nos Fundos, em São Paulo, no próximo dia 20. Atualmente, ele vive um período criativo extremamente fértil. Mesmo com Outono recém-lançado, Nenê já tem seis novas composições, que devem ser lançadas em 2010. "Sempre tenho músicas guardadas. É bom, pois tenho tempo para lapidar cada uma e, quando me ligam para gravar, é só ligar a máquina", diz Nenê. - Lucas Nobile - O Estadao de S.Paulo


Não bastasse a dívida que o Brasil tem com o baterista Nenê por conta do toque único em discos de Hermeto, Elis, Egberto Gismonti e inúmeros outros, o cara ainda resolveu se aprofundar no piano e desenvolver um trabalho de composição.
Desde 2001 está com um trio, ao lado de Alberto Luccas (baixo) e Írio Júnior (piano), com o qual gravou mais um CD autoral, Outono. A pegada do trabalho é jazzística, apesar de alguns temas serem brasileiros, como Congada. - A Tarde


“If you can only afford an album per month, that’s the choice!”

- Pierre-Jean Gaucher


“Nene moved to Europe and formed a group with two saxophonists and a Danish bass player. He has not forgotten the principals of his master and he presents an opened music, based on the Brazilian tradition”. - Jazz Magazine


Discography

As a leader:

- Bugre (1983 – Media Sept)
considered one of ten best of the year, by Jazz Hot (French Magazine);

- Ponto dos Músicos (1984 - Dam);

- Minuano (1985 - Continental);

- Suíte Curral D’el Rey (1997);
Grammy nominated in the category of the best Latin album

- Trio A Pampa (1997)

- Porto dos Casais (1998 – Núcleo Contemporâneo)

- Caminho Novo (2002)

- Ogã (2005 - MixHouse)

- Sudeste (2007)

- Outono (2009 - Borandá)

Highlights as a Sideman:

- 1981 - Sanfona - Egberto Gismonti - ECM Records
- 1979 - Hermeto Pascoal - Montreux Jazz Festival
- 1979 - Hermeto Pascoal - Zabumbê-Bum-Á
- 1978 – Milton Nascimento - Clube da Esquina 2
- 1976 - Elis Regina - Falso Brilhante

Photos

Bio

Musicians with the verve of Realcino Lima Filho, aka Nenê, will always be celebrated for the importance of their work. Internationally known for the talent and uniqueness of his drum playing, and also for his work as a composer, arranger and educator; the “gaucho” (born in Porto Alegre – south of Brazil), builds incredible atmospheres in his compositions.
Nenê recorded some of the Brazilian music landmark albums throughout his career, such as “Sanfona” (1981) with Egberto Gismonti, for the ECM label, “Ao vivo em Montreux” (1979) with Hermeto Pascoal, “Clube da Esquina 2” (1978) with Milton Nascimento, and “Falso Brilhante” (1976), with Elis Regina. He also played with major jazz musicians such as Charlie Haden, Steve Lacy and Richard Galliano, just to name a few.
Released in 1983, “Bugre” Nenê’s first solo album was chosen by the French magazine, Jazz Hot, as one of the ‘year’s top 10’. In 1997, “Suite Curral del Rey” was nominated for “Best Latin Jazz Album”. Celebrating more then four decades as a drummer, Nenê keeps innovating and renewing his music.

OUTONO - Nenê Trio

Nenê, drummer with one of the most successful Brazilian
Music careers; bass player Alberto Luccas and pianist Írio Jr., form “Nenê Trio”. As result of a modern, original and inventive encounter, they are releasing the album, “Outono”, which
brings 10 originals themes, all written and arranged by Nenê.
“Outono” stands out as the 11th album of the drummer’s solo career, and the first with this new Trio lineup.
Nene is convinced of the vivid Brazilian elements of this work “It is for sure something new, to compose using sophisticated
harmonies and melodies with strong elements of Brazilian rhythms. This is what Alberto, Írio and I had in mind when we made this new album”. Some important compliments
are already being collected. “I was deeply impressed by the musical quality of this album. The high technical level did not hide the sensibility and beauty of the compositions that, along
with the arrangements, are extremely refined” defined Mr. Dori Caymmi, one of the most important Brazilian musicians.

CONTACT (Brazil)

Manager: Fernando Grecco
contato@boranda.com.br
+55 11 2362 9906
+55 11 7257-5557