Teatro Magico
Gig Seeker Pro

Teatro Magico

Osasco, São Paulo, Brazil | Established. Jan 01, 2003 | INDIE

Osasco, São Paulo, Brazil | INDIE
Established on Jan, 2003
Band Rock Latin

Calendar

This band hasn't logged any future gigs

Jul
11
Teatro Magico @ Parque José Affonso Junqueira

Poços de Caldas, Minas Gerais, Brazil

Poços de Caldas, Minas Gerais, Brazil

May
31
Teatro Magico @ Chevrolet Hall

Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil

Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil

May
24
Teatro Magico @ Opinião

Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brazil

Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brazil

Music

Press


"Grão do Corpo é o nome do novo quinto trabalho da trupe O Teatro Mágico."

Grão do Corpo é o nome do novo quinto trabalho da trupe O Teatro Mágico.
A trupe O Teatro Mágico lançou nesta manhã o nome do novo álbum e uma das novas músicas de seu novo álbum. O álbum se chama ‪‎Grão do Corpo, e o líder e vocalista Fernando Anitelli explica o porque do nome: “Não se trata de um olhar para o individualismo contemporâneo, mas, pelo contrário, o entendimento e a consciência de que esse corpo individual – pequeno grão – compõe o corpo social, o universo e as particularidades da Terra.”

Já a música inédita se chama ‪#‎MãosAosDesolados, você pode conferir na imagem abaixo a letra e já está disponível para você baixar na rede social do grupo e compartilhar.

No dia 27 de Abril no Espaço das Américas em São Paulo, a trupe lançará seu novo trabalho com um novo show e novas coreografias, cenário, novas músicas e músicos. - Programa na Pista


"Recomendações ONErpm"

April 23 2014, ONErpm's Recommendations Newsletter: Teatro Mágico is the first one. - ONErpm


"Dave Matthews diz ser grato ao Brasil e pede Teatro Mágico no palco Cantor sul-africano se apresenta com sua banda nesta sexta (8), no Rio."

Dave Matthews diz ser grato ao Brasil e pede Teatro Mágico no palco.
Cantor sul-africano se apresenta com sua banda nesta sexta (8), no Rio.
Henrique Porto - do G1 RJ

Dois anos depois de se apresentar pela última vez na cidade, o cantor e compostior sul-africano Dave Matthews, líder da Dave Matthews Band, está de volta ao Rio de Janeiro. Desta vez, como o próprio músico explicou em entrevista a jornalistas realizada na manhã desta quinta-feira (7), com um sentimento de gratidão.

"Estamos lançando um CD duplo, ao vivo, com um show gravado na cidade em outubro do ano passado. Escolhemos o Rio pois foi aqui que fiz apresentações das quais jamais me esquecerei. Foi especial por uma série de motivos: pela emoção, pelo público. Fizemos isso como uma forma de agradecimento", declarou um simpático Dave que, muito bem humorado, seguiu elogiando a vibração dos brasileiros.

"É como se o público brasileiro nos ouvissse de uma maneira diferente de outros lugares. E isso os torna especiais. É incomum tocar aqui. É bom sentir essa responsabilidade longe de casa. É único", derreteu-se o Dave, que também mostrou conhecer música brasileira ao citar nomes como Caetano Veloso, Gilberto Gil e Seu Jorge como alguns de seus artistas preferidos.
'Fazem acrobacias?'

A Dave Matthews Band se apresenta na noite desta sexta-feira (8) na HSBC Arena, no Rio, em show que terá o grupo Teatro Mágico como banda no Rio.
"Parece que são palhaços. Fazem acrobacias? Dançam? Cantam? Vão comer fogo? Porque, se for assim, estamos perdidos. Ninguém na minha banda faz essas coisas. Acho que vou convidá-los para subir ao palco enquanto tocamos. Vão deixar nosso show mais interessante. Talvez possam até me ensinar", brincou.

Sobre o possível repertório do show, ele faz suspense e diz que não consegue pensar nas canções que canções vai tocar com muita antecedência. "Anoto os nomes das músicas num papel faltando mais ou menos uma hora para subir ao palco. Depois, mostro para o meu baterista até que ele me dê um 'OK'. Em seguida, é a vez dos outros músicos me dizerem o que acham. Deixo o repertório um pouco livre, mas nem tanto", destacou.

Morte de LeRoi Moore
Em um momento mais sério, Dave lembrou a morte do saxofonista e um dos fundadores da banda LeRoi Moore, em agosto de 2008, dois meses antes do grupo de apresentar por aqui com os shows que deram origem ao novo álbum - o músico não resistiu a um acidente de quadriciclo ocorrido um mês antes.

"Quando tocamos aqui pela última vez, LeRoi tinha acabado de morrer. Não estávamos com uma energia muito boa, mas os brasileiros mostraram muito respeito a ele e a nós. Ele gostava muito de tocar no Brasil. Sempre estará conosco", declarou Dave, que segue para São Paulo no fim de semana, onde será uma das atrações do Festival SWU, em Itu, interior do estado.
Dave também revelou que vai dissolver o grupo pelo próximo ano para poder descansar e "pensar em novas ideias". - G1 Globo


"Lives of the Unsigned - O Teatro Magico"

Article by LEONIE RICHMAN

O Teatro Magico is a gorgeously entertaining Brazilian band that could
romance any hard heart. Their amazing acoustic guitar elements, mixed
with violin, saxophone, guitars, bass, flutes and many other
instruments join together to create a graceful and smooth composition
in a uniquely poetic way.

Currently, they are running around the country with shows booking out their diaries, but Fernando Anitelli took time out to talk about his music, his aspirations, inspirations, and whats in store for The Magic Theatre.

Every once in a while you find musicians that pour every part of their heart and soul into the music they make. musicians that feel music instead of simply
hearing it. O Teatro Magico is a perfect example of time taken to delve
into the depths of ones emotions. Its music in its better way of saying
it: made with truth, taking a chance to look around in a poetic, scenic
and musical way, and finding the best character of your 'every day
play.' Finding your own magic theatre and touching hope for a while.
Its also a time to think about the choices, chances and reasons why!

With ten musicians pouring their heart into their songs for O Teatro Magico
for the past two years, its incredibly easy to get caught up in your
own soft, beautiful world through their music!

Fernando Anitelli leading O Teatro Magico at Cafe Uranus

It's hard to believe that this fascinating band has only been around for two
years. So much work has gone into it since the beginning that they have
already achieved so much. Musically, I have my freedom to write and to
record everything in the way I want because there is not anyone giving
me orders to compose a three minute song, ready to be played on every
radio stationand that is already a great conquest. Believe me.

It wasn't always like this. The idea for O Teatro Magico came two years
ago, Fernando explains. I had some material that I wanted to record
after reading Hermann Hesse. So, what I did was simple - I got all the
ideas that were able to tell the stories I was looking for and I put
them all together as a play. So we started recording the album treating
it as a play! The musical producer Ronaldo Rossato and I spent the year
of 2003 seeing each other every morning, working on this album.

I called all my musician friends including Cordel do Fogo Encantado,
Simone Soul and many others so we had a participation of 30 friends at
the end of it. So I decided to make up a band that could be able to
reproduce what the other 30 guys had done in the studio! And that is
when we started performing!

Fernando describes the Brazilian music scene as great. There are thousands of minds working on new, interesting, and unique things. However, the problem is the media. It is all taken by the big records. Most of the media groups face music as a product first, but Fernando believes that it should be portrayed as
an expression - a word of joy and hope with a second of inspiration.

It seemed the most appropriate choice for becoming accustomed to the
Brazilian music scene, therefore, to focus on live performance. We
started playing in an old theatre in downtown Now a great music hall
named BLEN BLEN has contacted us for four presentations! So it is like
an answer for our hard work that is it.

Fernando Anitelli leading O Teatro Magico at Cafe Uranus

If anyone has heard the uplifting and incredibly enlightening songs from O
Teatro Magico like Pratododia and Zaluzejo, they will realise why the
audiences are so large! It would be literally impossible to stay off
your feet, dancing to the gorgeous sound!

The performances are the only moment to show everything we are supposed to - to present the idea of what The Magic Theatre is! We mix a bit of acting, juggling, poetry declaiming and, of course, music! There is a specific moment
where we make music with the audience. The band starts playing anything
and I get into the crowd asking for words! So people start saying the
words they want anything! And we make music out of that! Things happen
during our performances, and this is the best it could get."

On the latest CD, Fernando has really gone back to the early days of his
childhood for ideas. My family has been a great inspiration for this
album: the stories of my grandfather, my father playing pencil as
percussion on his teeth, the incredible wrong-words that an old woman
called Josilene Raimunda speaks during her days around us, my mom
yelling at me through the answer machine.

My greatest influences are acoustic guitars - I also love to listen to sounds of tribes, Indians, nature, anything that sounds real! And such a diverse range of
musical inspirations he has! Everything from Gilberto Gil, Simon and
Garfunkel, Dave Matthews, Mawaca, Chico Science, Lenine, Ben Harper and
Zeca Baleiro. No wonder they have such a unique sound!

Whats to come for The Magic Theatre?
I dont know, Music can take us to a lot of different roads - everything from having your own company; able to give concerts anywhere, to becoming the culture minister of your own country! Able to help and save our culture through music and other types of expression!

Ah Maybe one day we will see a leader with such a strong heart like these musicians that the positive cultural impact on Brazil will be phenomenal.

The question of the day was one that left me feeling proud to have such amazing talent and passion within the music industry.

Why do you make music?

Because it is my gift. I didnt want to face God and say 'Hey! Do you remember
that gift youve given me? Well, Ive made it my special hobby and Ive
spent my entire life working for a bank! I made a lot of money, bought
my own house, got a wife and a dog'

Probably God would say 'So what?' Well I do music, just because of that

If you want to listen to any of O Teatro Magico's gorgeous tracks or find
out more information, visit www.oteatromagico.mus.br - performance
dates are also there. - The Cheers - Australia


"O Teatro Mágico Biography"

O Teatro Mágico (The Magic Theater) is a Brazilian musical group formed in 2003. It was created in the city of Osasco, São Paulo State by Fernando Anitelli and his friends and artists who believed in it joined it.

The group's purpose goes beyond music. O Teatro Mágico (TM) brings music, poetry, circus, literature, popular culture, and politics all together. Despite involving many artistic performances, the group is popular to every kind of audience, independent of age or social class.

The name: Anitelli was in another band called "Madalena 19", and, with the intention to gather money to record an album, he decided to go to the U.S. There, he worked as a waiter. He got to know Hermann Hesse's novel Steppenwolf, on which the protagonist run into a man who is advertising the "Magic Theater". From that he got the name for the album he was working on. Musical Style and Influences: Fernando Anitelli said in an interview that their influences goes from the bands and singers Secos e Molhados, Dave Matthews Band, Antônio Nóbrega, Chico César, Tom Zé, Silvério Pessoa, Raul Seixas and Legião Urbana to the writers Hermann Hesse, Mário Quintana, Clarice Lispector, Denise Stoklos, Plínio Marcos.

The group is not only diverse in its genres, but also in its musical instruments. Some of these musical instruments are highlighted, such as guitar, violin, electric guitar, bass, drums, flute, DJs, and many others.

Fernando Anitelli and O Teatro Mágico: Fernando Anitelli created the project, and he is also the composer,one of the actors and musicians of the songs they present. There are 7 musicians and 3 artists from circus. It also has others singers' participation in different songs.

Anitelli and the project work without the support of a recording contract. However, they have some concerts which they received help from the city's government.

Members: Musicians, Fernando Anitelli, Rafael dos Santos, Luiz Galldino, Silvio Depieri, Daniel Santiago, Thiago Espírito Santo, Pedro Martins, Circus, Wallace Alcantara, Mateus Bonassa, Andrea Barbour.

Group philosophy: This groups has a philosophy. It started a movement called "Musicas Para Baixar - MPB" which means music for download, and it supports the free sharing of music online by Internet.

Awards and Records: Best National Concert in 2007 by "Folha Nacional de São Paulo"; Record of Audience in "Virada Cultural" 2007 (40,000 of people in São Paulo) and 30,000 in the same event in 2008 (record of audience for the time on the Sunday morning); More than 120,000 of their first album "O Teatro Mágico: "Entrada para Raros"; More than 50,000 copies of their second album "Segundo Ato";
All their songs are available online. Their second album has a record of downloads in "Trama Virtual";
Anitelli was at the World Social Forum 2009 and was invited by Landless Workers' Movement and by the World March of Women to sing in the reception ceremony for the presidents: Hugo Chavez, Fernando Lugo, Evo Morales, and Rafael Correa.
The song "Nosso Castelo Pequeno" was indicated to the category "Hit of the Year" at the VMB 2012. - MTV


"Virada Cultural Teatro Mágico encanta público da Praça da Saudade"

Trupe reune elementos do circo, teatro, poesia, música, literatura, política e cancioneiro popular

MANAUS – Respeitável público: eles são o grupo Teatro Mágico e trouxeram a Manaus a magia da poesia musicada aliada à arte circense. A chamada seria perfeita para abrir os palcos da Praça da Saudade para uma das apresentações mais comentadas da Virada Cultural, na madrugada deste domingo (13). Minutos antes do espetáculo, os artistas paulistas falaram ao portalamazonia.com e se disseram impressionados com a energia positiva dos manauaras.

Ao reunir elementos do circo, teatro, poesia, música, literatura, política e cancioneiro popular, o Teatro Mágico apresenta diferentes segmentos artísticos numa mesma apresentação. Tanta criatividade fez a fama do grupo, criado por Fernando Anitelli, chegar à capital amazonense. “Manaus tem uma energia muito forte e positiva. É uma das poucas capitais que ainda não tínhamos nos apresentado e estamos muito felizes por estarmos aqui”, disse o artista da trupe, Wallace Alcantara.

Na agitação e ansiedade para o início do show, o percussionista do Teatro Mágico, Willians Marques, disse estar encantado com a acolhida do povo da “Cidade da Floresta”, como eles denominam Manaus. Sobre a apresentação, o vocalista e criador do grupo fez questão de explicar. “Trouxemos para Manaus um pouco de cada trabalho nosso, além de apresentarmos o mais novo álbum. Vamos mesclar o disco “A Sociedade do Espetáculo”, que veio para completar a trilogia da Cia musical que ainda compreende “Entrada para Raros” e “O Segundo Ato””, disse Anitelli .
Apesar de envolver diversas expressões artísticas e uma linguagem literária, o trabalho do Teatro Mágico é popular e acessível para todos, independente de idade e classe social. A prova vem das palavras do próprio público que não conhecia a trupe, mas saiu de lá extasiado com a apresentação. “Não imaginava que era tão bom, virei fã de verdade”, disse a estudante de arquitetura, Carol Castro. - portalamazonia.com


"O Teatro Mágico lança terceiro CD em palco nada alternativo Grupo apresenta "A Sociedade do Espetáculo" no Citibank Hall"

Em 2003, quando o cantor e compositor Fernando Anitelli, de 37 anos, criou o conjunto de músicos e artistas circenses O Teatro Mágico, a proposta era conceber uma trilogia. Avesso às gravadoras, lançou de maneira independente — e com direito a download gratuito — os álbuns “Entrada para Raros” (2003) e “O Segundo Ato (2008)”, que juntos venderam mais de 470.000 cópias. Distribuído no mesmo esquema, deveria encerrar o ciclo o recente “A Sociedade do Espetáculo”, mas Anitelli e companhia não devem parar por aí. “O George Lucas pôde aumentar a sua trilogia; só porque nós somos uma trupe de Osasco não temos esse direito?”, diz o fraseador músico, numa referência às sequências de “Star Wars”. Há planos de um ano e meio de turnê, um DVD e talvez uma pausa breve para o líder se dedicar a trabalhos voltados às crianças.

Grande vendedor de discos capaz de lotar shows com uma plateia fervorosa, o grupo leva seu papo cabeça e a pose “eu-não-me-rendo-ao-sistema” ao palco do... Citibank Hall. Bem longe da pegada alternativa, a casa de espetáculos vai cobrar a partir de 70 reais pelos ingressos para a apresentação. “É uma ocasião especial. Lá encontramos uma estrutura para fazer o show que nossos fãs merecem”, justifica Anitelli. “Isso eleva o preço, mas não quer dizer que será o padrão”. No domingo (9), enquanto os sete instrumentistas exibem o novo repertório (de CDs anteriores aparecem “O Anjo Mais Velho” e “Pena”), outros quatro artistas fazem encenações e números aéreos. Todos caracterizados como palhaços. - Veja São Paulo


"Teatro Mágico fala de novo CD com menos violão e maquiagem"

Teatro Mágico fala de novo CD, com menos violão e maquiagem - 06/04/2014 - São Paulo - Folha de S.Paulo

CHICO FELITTI
COLUNISTA DA sãopaulo
06/04/2014 02h30

Como todo ato, O Teatro Mágico é diferente visto no camarim. Quando recebem a sãopaulo no estúdio em que gravaram "O Grão do Corpo", disco que lançam em meados de abril, os três integrantes principais da trupe estão de cara limpa.

E é assim que devem se manter no palco: "A gente quer diminuir a maquiagem", dizo vocalista e fundador Fernando Anitelli, 30.

Fernando é quem comanda o projeto de 11 anos, que já teve "mais de 30" pessoas em sua composição, mas, na verdade, é gerenciada por ele e pelo irmão, Gustavo.

Desde 2011, o músico Daniel Santiago, que tem formação erudita, foi chamado para produzir o som do Teatro e ganhou poder dentro da banda, que tem quase um milhão de seguidores nas redes sociais.

O novo trabalho d'O Teatro Mágico será apresentado em 27 de abril (domingo), às 18h, no Espaço das Américas, em São Paulo, primeira cidade a receber a turnê do grupo, que passará também pelo Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre e Belo Horizonte.

O novo figurino d'O Teatro
O som de vocês está bem diferente nesse disco. Foi uma mudança pensada?
Daniel Santiago -­ A ideia era meio que enxugar, enxugar, enxugar. Tirar os exageros e chegar à essência. Levou dois anos para ser bolado e só sete dias para gravar.

E chegaram? Como?
Daniel Santiago -­ Para mim, sim. A instrumentação agora tem características mais urbanas. Timbres mais ácidos. Mais teclado. A guitarra tem outro lugar, que antigamente era mais do violão. O som das bandas em geral está ficando mais internacionalizado. Mas a gente manteve uma coisa brasileira.

O que mantiveram de brasileiro?
Daniel Santiago -­ Nesse disco, por exemplo, tem muita percussão de candomblé.

Vocês são independentes, prensam, distribuem e vendem os próprios discos.
Pensaram em, com o sucesso, assinar com uma gravadora?
Gustavo Anitelli -­ As gravadoras não têm muito mais o que oferecer. Eu até fiz o meu mestrado sobre isso, sobre quem está ganhando dinheiro com música hoje em dia. Ganhamos muito dinheiro com direito autoral e propriedade intelectual da marca, vendendo mochila, pen drive.

De onde veio o nome do CD, "O Grão do Corpo"?
Fernando Anitelli -­ Faísca é o grão de um incêndio. Nós somos o grão da
sociedade. A sociedade é o grão de uma nação. Por isso a simbologia do grão.

Há uma música que parece se referir às manifestações de junho. Vocês
trocaram os grandes temas por coisas mais pragmáticas?
Fernando Anitelli -­ As letras falam de questões do cotidiano, pode ser interpretado assim. Mas o que parece falar de uma manifestação na rua pode ser também sobre um relacionamento. É um exercício para a gente compor dessa maneira. Não queríamos repetir o que já tínhamos feito. Seria um sentimento de "eu não estou evoluindo".

Qual é o público do Teatro Mágico hoje?
Gustavo Anitelli -­ A maioria do nosso público, por pesquisa de Facebook,
envelheceu. O público de 13 a 18 anos é de 6%. Muito pequeno. Daí de 18 a 24 são 30%, e 25 a 35 são quase 50%. Foi um momento importante envelhecer, porque a gente envelheceu também. É uma relação dual. Se eles não gostam, vêm e dizem que não gostaram. Se curtem, dizem que é do caralho. Fizemos uma pesquisa das comunidades de Facebook mais ligadas com o nosso perfil. Das 50 primeiras, não tem nenhuma internacional. A enorme maioria tá no campo MPB pop: o primeiro é Lenine, depois tem Djavan, Maria Gadú... A gente não vem da elite MPBsística.

Fernando Anitelli -­ Tem de tudo. Vai do oito ao 88. Tem criança que gosta de se
pintar. Outro dia vi uma criança de uns quatro anos gritando "A poesia prevalece!". Eu fui saber o que era prevalecer com 14 anos. Tem de tudo, família comparece, casal homossexual, o cara que curte reggae, o outro com cara de mau. É bacana ver o amadurecimento nos comentários. As pessoas sabem analisar, dizem: que incrível, o primeiro álbum queria dizer isso, o segundo aquilo. Elas pensam em cima do
trabalho.

Algum fã mais antigo foi contra as mudanças?
Fernando Anitelli -­ Já ouvi 'Vocês perderam a inocência!'. Pô, graças a Deus! É
saudável, faz a possibilidade de dialogar com esse público.

Já espera críticas pelas mudanças, tanto de som quanto de temas?
Fernando Anitelli -­ Lançar uma coisa nova tem sempre a galera dizendo "Cadê o mais do mesmo?" A nossa essência é nossa constante mutação. Isso não muda. Estilo de música, pode cada álbum ter um. Fazer o novo de novo, abrir mão e tentar se refazer, a gente continua sem medo.

E o circo, entra onde?
Fernando Anitelli -­ Quando a gente fala circo pensa em nariz vermelho, sapato
comprido e alguém fazendo o Bozo. A gente não usa mais a palavra circo, usa
performance. Tem dança, tem mágica, tem muita coisa.

O Marcelo Sommer, estilista renomado, está cuidando do visual de vocês. De
onde veio a parceria?
Fernando Anitelli -­ A cada álbum mudávamos figurino, cenário e maquiagem. O
Marcelo Sommer surgiu e tem um trabalho fabuloso, que já envolveu o universo circense. Misturou o clássico com o streetwear. Tem a coisa do pós-­punk, das roupas rasgadas. Uma bermuda que parece uma saia, uma jaqueta bem cortada. Eu adorei o que a gente fez até agora.

Vão continuar pintando a cara?
Fernando Anitelli -­ A maquiagem foi uma experimentação. A gente quer diminuir a maquiagem. O próprio figurino não é o clássico. É o clássico meio fodido, a camisa que pegou fogo.

Quando mostram ao público as novas canções?
Temos cinco seis apresentações antes do lançamento. Vamos testando música nova, os trechos de performance e as músicas, Uma delas é em Ribeirão Preto [no interior de SP], que também foi uma das primeiras a ouvir o último disco. É um lugar bom para lançar. Acho que não faríamos em cidades maiores, como São Paulo ou Porto Alegre.

O novo figurino d'O Teatro
http://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/24087-­o-­novo-­figurino-­do-­teatro - Folha de São Paulo


Photos

Bio

Teatro Magico (TM)

In 2003, inspired by Herman Hesses Magic Theater portrayed in Steppenwolf, Fernando Anitelli created TM, in Osasco, Great Sao Paulo. TM displays typical Brazilian references of music, theater, dance and circus. His last opus, Grao do Corpo, includes Daniel Santiago's (Joao Bosco, Hamilton de Holanda) stylish musical direction.

Combining customized communication 2.0 with free physical distribution, TM captivated a powerful audience, who won his free entrance in Brazilian mass medias through top attendance at shows, 8 millions of free downloads, purchasing 500000 albums and 300000 DVDs. TM is the principal free music project of Latin America.

TRAVEL PARTY LINE-UP

1/ FERNANDO ANITELLI, 38 Lead vocals, guitar

2/ DANIEL SANTIAGO, 34 Lead guitar, backing vocals, musical production

3/ GUILHERME RIBEIRO, 36 Keyboards, Synths

4/ SRGIO CARVALHO, 41 Bass guitar

5/ RICARDO BRAGA BARRETO, 31 Percussion

6/ RAFAEL DOS SANTOS, 35 Drums

7/ ANDREA BARBOUR, 27 Circus performer, dancer

8/ GUSTAVO ANITELLI, 31 Manager, executive producer

9/ CLAUDINEI MONTEIRO, 49 Technical producer & P.A.

10/ CATHERINE SCHLUP, 49 International agent